segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Vagas abertas para a Escola Atemporal de Artes!

     Desde 2005, o Pequeno Teatro de Torneado vem transitando por diversos lugares da Grande São Paulo e instalando bases temporárias pedagógicas de formação de artistas. Essas experiências resultaram numa pedagogia própria que, aos poucos, foi constituindo o projeto pedagógico da Escola Atemporal de Artes, uma escola de formação de artistas com princípios democráticos e gratuitos de acesso e permanência, onde uma vez por ano as(os) próprias(os) aprendizes, em parceria com as(os) orientadoras(es), reconstroem o projeto pedagógico e o Estatuto da Escola. O primeiro Estatuto foi construído com 50 alunos participantes dos projetos pedagógicos dos últimos dois anos e em breve estará disponível na plataforma virtual do coletivo. A Escola seguirá com a tradição itinerante dos processos pedagógicos do Pequeno Teatro de Torneado, sem tempo e espaço fixo para a realização de seus processos. Em parceria com o Sítio Cultural Alsácia, situado em Ribeirão Pires, serão realizadas imersões buscando o intercambio artístico de todos os processos espalhados pela Grande São Paulo e aulas teóricas.
     As especificidades da Escola Atemporal de Artes estão principalmente na singularidade da formação da(o) aprendiz que traçará, à sua maneira e possibilidade social, as experiências pedagógicas disponíveis pela Escola. A(O) aprendiz terá uma carga horária determinada para cumprir dentro de um período variável de acordo com seu projeto de vida. A Escola oferecerá amplos e diversificados apoios: pedagógico, com o pedagogo e arte-educador William Costa Lima, psicológico, com a psicóloga Flávia Pennachin e terapêutico, com a arteterapeuta Maíra Sera, o farmacêutico Marc Strasser e a massoterapeuta Thaís Moura.

     O processo seletivo acontecerá através de uma carta de interesse via e-mail onde a(o) aprendiz demonstrará uma primeira motivação em participar de um processo pedagógico de iniciação ao teatro com duração de um semestre. Após essa primeira experiência, ela(ele) poderá dar abertura em seu “Diário de Bordo”, onde será relatado pela(o) própria(o) aprendiz, orientadoras(es) e outras(os) aprendizes parceira(os) de processos, a trajetória técnica, ética e pedagógica que a(o) aprendiz traçou em cada experiência. Após o mínimo de 4 anos de trajetória e uma determinada carga horária preenchida, a(o) aprendiz irá obter um certificado de conclusão, sendo que 20% dessa carga horária poderá ser realizada dentro de experiências fora da Escola, mas acompanhadas pela coordenação pedagógica. Para um futuro próximo, a Escola planeja a aprovação de suas diretrizes e o reconhecimento pelo MEC (Ministério da Educação).
     As inscrições serão abertas a partir do dia 23 de janeiro. Através do envio de um email para: escolaatemporaldeartes@gmail.com, a(o) interessada(o) deverá colocar seus dados (nome, telefone, email, idade) e dizer em cinco linhas suas motivações para realizar a oficina. 
     Para esse primeiro momento da Escola Atemporal de Artes a(o) aprendiz deverá manifestar  interesse levando em consideração duas opções: FUNARTE-SP (Próximo ao metro Santa Cecília, de fevereiro a junho de 2017, sempre aos sábados das 10h às 14h) ou Sítio Cultural Alsácia (Vila Suissa -Ribeirão Pires, de fevereiro a dezembro de 2017, terças e quintas das 14h às 18h ou 19h às 22h). 

Sejam vindas (os) e sintam-se convidadas(os) a colaborarem nesse primeiro e importante processo de construção de nossa Escola Atemporal de Artes.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Sítio Cultural Alsácia abre programação de 2017 com espetáculo de Plínio Marco

Em Janeiro, o Sítio Cultural Alsácia traz mais uma oportunidade para os espectadores assistirem um resultado de processo das Oficinas de Teatro da Escola Municipal de Artes Arquimedes Ribeiro. Esta oficina, em particular, conta com a coordenação pedagógica de Emerson Ribeiro e coloca em cena 9 atores interpretando uma obra de Plínio Marcos escrita em 1968:  “Homens de Papel”. A história se dá em torno de um grupo de catadores de papel, que planeja uma revolta contra o homem que, ao comprar o papel coletado por eles nas ruas, rouba no peso e no preço, para revendê-los mais tarde para uma fábrica. O texto aponta para um sistema desumano que aprisiona, sendo que explorador e explorado ambos devem lutar pela sobrevivência.

Créditos: Thaís Moura

A Escola Municipal de Artes Arquimedes Ribeiro celebrou em 2016 a 19a Mostra de Teatro de Ribeirão Pires. Os cursos são oferecidos regularmente e as inscrições são gratuitas e realizadas no começo do ano. O Sítio Cultural Alsácia vem desenvolvendo uma ampla programação cultural para a cidade de Ribeirão Pires. No ano passado foram mais de 20 apresentações de treze diferentes espetáculos, além de cine-debates e eventos, como a Festa Julina. Este ano, o Sitio irá inaugurar oficialmente a Escola Atemporal de Artes, uma escola democrática das Artes Cênicas que não possui currículo fixo nem turmas, com cada aluno percorrendo uma trajetória própria. A Escola tem previsão de iniciar em Abril, após algumas reformas estruturais do espaço.


Créditos: Thaís Moura

Serviço:

Espetáculo: Homens de Papel
Data e Local: Sábado, dia 21 de Janeiro, às 20h00, na sala Frank Wedekind
Entrada Gratuita
Texto:  Plínio Marcos
Direção, Iluminação e operação de som: Emerson Ribeiro
Elenco: Ana Cristina Cascardi, Daniela Simone Terehoff, Derick Rodrigues Volpi, Diana Reghini Vanderlei, Edivaldo Sampaio, Leandro Albino, Madeleine Lima, Ricardo Garcia, Samantha Vicentim Silva e Rosemeire Reghini

Fotografias: Thais Moura

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Agenda de Dezembro do Sítio Cultural Alsácia

Agenda: Dezembro de 2016

Espetáculo "Juventudxs":

Data: Dia 17 (sábado), às 20h00

Ingresso: Gratuito   Classificação: 10 anos

Pequena sinopse do espetáculo: Em uma parceria entre o Pequeno Teatro de Torneado e o Projeto Juventudes do Sesc Itaquera, adolescentes e jovens experimentaram a linguagem teatral, realizando um mergulho criativo e reflexivo de questões trazidas pelos próprios aprendizes. Depois de 7 meses de investigações, os jovens irão colocar em público, através de três apresentações, uma história fictícia que sintetiza temas de seus cotidianos, interrelações e conflitos entre as mais diversas tribos jovens contemporâneas.

Grupo: Escola Atemporal de Artes, em parceira com o SESC Itaquera

Coordenador: William Costa Lima

Assistente de coordenação: Marina Yohara

Coordenação do Programa Juventudes, SESC Itaquera: Ane Rocha

Roda de Construção do Estatuto da Escola Atemporal de Artes:

Data: Dia 18 (domingo), a partir das 10h00

Ingresso: Gratuito

Juventude e Democracia encerram a programação de 2016 do Sítio Cultural Alsácia


Desde que iniciou suas atividades na cidade de Ribeirão Pires, o Sítio Cultural Alsácia vem se tornando uma referência em proposições culturais alternativas. Só em 2016 foram dezenas de espetáculos, imersões com importantes artistas do cenário nacional e diversas oficinas artísticas passaram pelos espaços do complexo cultural. Tantas proposições e tantos encontros fizeram do projeto Sítio Cultural um híbrido espaço aberto a uma diversidade de propostas. Uma dessas proposições foi a construção do projeto pedagógico da Escola Atemporal de Artes, uma escola de formação em teatro, inspirada nas experiências pedagógicas do Pequeno Teatro de Torneado e com gestão democrática realizada por todos participantes e sem um lugar fixo para acontecer.


Em 2016, a Escola Atemporal de Artes se deslocou para diversas regiões da Grande São Paulo, tendo como parceiros o SESC Itaquera, SESC Santo André, Oficina Cultural Alfredo Volpi e o próprio Sítio Cultural Alsácia. Um dos resultados dessa pedagogia, “Juventudxs”, criado por jovens do SESC Itaquera em parceria com o programa Juventudes, será apresentado no dia 17 de dezembro, às 20h e com entrada franca no Teatro a Céu Aberto dentro do Sítio Cultural Alsácia.

O espetáculo, “Juventudxs, uma peça golpe afetiva”, se trata de um mergulho ficcional que tenta de maneira sintética refletir questões relacionadas aos gêneros e às tribos jovens contemporâneas. Após o espetáculo, os 24 jovens envolvidos no projeto irão realizar com o público um bate papo sobre o resultado pedagógico.


Na manhã do dia 18, às 10h, jovens, educadores e público irão se reunir para uma roda de conversa sobre educação democrática e grupos de trabalho para a constituição dos primeiros passos do Estatuto Pedagógico da Escola Atemporal de Artes.

Não perca!

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Programação de Outubro traz dois grupos com muita história para contar


Em outubro, o Sítio Cultural Alsácia traz três espetáculos e abre suas portas todo sábado a partir da 14h00 para o público poder conhecer os diferentes espaços do complexo como o Jardim Isadora Duncan e o Bambuzal. No dia 01 às 16h00 será apresentado o lindo e delicado “Chiquinha Gonzaga: A Menina Faceira”, da Cia. Das Cores. Trata-se de um espetáculo de teatro de bonecos para crianças de todas as idades e conta diversas  facetas de  Chiquinha Gonzaga a partir  do seu universo musical, onde  três vendedores de rua, acompanhados por um ‘pianeiro’ da época, encenam com bonecos algumas  peripécias de sua infância, situações pitorescas de sua vida e momentos lúdicos de suas criações.
Foto: Edson Gon

Nos dias 08 e 22, será apresentados o espetáculo “Primavera”, do Pequeno Teatro de Torneado. A história se passa em uma instituição fictícia, criada a partir de uma leitura do adolescente contemporâneo, buscando um diálogo comum ao adolescente suscitado no texto ‘O Despertar da Primavera’ de Frank Wedekind, escrito em 1891. Em uma instituição apontada como modelo de pedagogia educacional, adolescentes esperam o despertar da primavera. Esse despertar, mais do que a chegada de uma estação, passa a representar o encontro com o novo, e os riscos que temos de assumir diante dos caminhos e escolhas que a vida nos aponta. Escolhas políticas, sociais, sexuais, religiosas e morais.
No dia 15 será apresentado o espetáculo “A Vedete”, criação do artista Gabriel Goldstein. Trata-se  de um espetáculo de máscara inteira expressiva (onde não há utilização do recurso vocal do ator) e é construído a partir do estudo dos princípios físico e gestual da máscara teatral. Além de não ter falas, a peça é feita inteiramente no silêncio, sem intervenção de trilha sonora. Essa escolha faz com que o espectador entre ainda mais profundamente no universo solitário da antiga artista.
Foto: Bruno Bernardi
E aguardem novidades! Estamos preparando nossa circulação pelo ABC com o espetáculo "Peter em Fúria"!